terça-feira, 14 de novembro de 2017

Entrevista com o autor Luciano Tanto de O Limite das Íris

terça-feira, novembro 14, 2017 0 Comments

Entrevista com o autor Luciano Tanto de O Limite das Íris

Olá, hoje venho trazer pra vocês um pouquinho mais de O Limite das Íris. Sei que vocês estão curiosos, então fiz uma entrevista com autor. Primeiramente vou deixar aqui a capa e a sinopse do livro; quem quiser ver a resenha só clicar aqui.


Sinopse:Tem amores que resistem ao tempo, se desencontram e que morrem. Tem amores que são tudo isso! Que sobrevivem, que lutam, que socorrem, se desmembram e se unem. Mas o mais forte amor ultrapassa o limite das íris, rasga o peito, tingindo o mundo de vermelho. Vivo! Arista e Danio vivem um lindo romance de uma única noite, exatamente como em qualquer outro livro que você já tenha lido. Mas não é bem assim. Não se brinca com o destino! Uma mentira, mesmo que contada com boas intenções, continua sendo uma mentira e as consequências podem fugir do controle. Ninguém escapa impune e, diante disso, suas vidas, então, se bifurcam e se convergem de vez. Diante da chance de mudar suas histórias, eles descobrirão que podem se tornar surpreendentemente fantásticos quando estão no olho do furacão: para alguns, o furacão os faz girar em círculos, enquanto outros escolhem voar. Qual a sua escolha?




  • O que o motivou a escrever o livro O limite das íris?


Foi um momento muito estranho na minha vida! Tudo o que me tocava virava palavra. Uma canção que eu escutasse, uma série que eu assistisse, uma história que me contassem, tudo se convertia em imagem na minha cabeça e não ia embora enquanto eu não a descrevesse no papel. Eu andava com um caderno debaixo do braço o tempo todo para escrever. Fiquei conhecido como o “cara do caderno”. E essas imagens na minha cabeça começaram a ter uma sequência e quando percebi, o livro estava se autoescrevendo. Não foi uma catarse, muito menos uma psicografia, longe disso! À medida em que fui conhecendo melhor Arista e Danio, a história foi se encaixando numa transcrição do coração e da mente.

  • Por que a escolha de personagens tão fortes?


Eu diria que as personagens são mais carismáticas do que fortes. Danio briga com o seu passado enquanto Arista recebe um duro golpe do presente. Mas ambos fazem escolhas que mudam suas vidas para sempre. O que eu mais admiro neles é a visão diante da vida, em como eles lidam com o novo, encarando suas histórias de frente, com a coragem de quem desbrava o mundo, rasgando o peito e expondo o coração vivo. Gosto muito de descrever suas características e suas emoções. É quando me permito enveredar em suas veias, me aliando aos dois como se fôssemos um só.

  • O que te fez inserir em seus personagens mensagens, por exemplo, de se viver uma vida mais feliz mesmo diante das dificuldades?


Todo mundo passa por problemas na vida. Isso é inevitável e não tem como fugir. O que nos torna únicos e surpreendentes é a nossa capacidade de resiliência, de não deixar os problemas te abaterem. Eu digo que a vida é uma sucessão de planos B: você planeja seus sonhos, mas vem o destino e te frustra de realizá-lo do jeito que queria. Você até chora um pouquinho, porque ninguém é de ferro. Mas você desiste do sonho por causa disso? Não! Arrume um plano B e corra atrás do seu sonho! Têm dificuldades que são intransponíveis, como no caso de Arista, mas você vai deixar de ser extraordinário por causa disso?

  • Sobre as cenas fortes que se encontra no livro. O que você poderia dizer sobre elas? E qual a cena que você mais gostou de escrever?


O que marcam mais o livro são as cenas fortes. E o livro está recheado delas! Gosto muito de descrever cenas e uma das cenas que mais gostei de descrever foi a primeira vez em que Arista vê o mar. Tenho uma conexão muito forte com o mar e fiz questão de transmitir isso através das emoções de Arista. Confesso que sinto o mesmo que ela toda vez que entro no mar. Outra cena forte, é claro, foi a do ônibus na ponte onde a história finalmente se divide e se une ao mesmo tempo.
  • O que lhe inspirou ao título e capa da obra?


Todos julgam o livro pela capa! O ditado é fato! Queria uma capa que atraísse os leitores para, pelo menos, querer saber um pouco mais sobre a história. Mas não queria apenas isso. Precisava ser uma capa que fosse hipnotizante. Fiquei muito feliz com o resultado! Quanto ao título, é apenas parte da descrição de uma frase que está nas últimas páginas do livro. Uma frase que resume quase que a história inteira.

  • Essa é a primeira obra que escreveu?


Sim. Um fato engraçado foi ter escrito o livro inteiro a lápis, em caderno pautado. É um processo pré-histórico, eu reconheço, mas esse foi o meu processo criativo. Levei um ano e meio escrevendo O Limite das Íris e o resultado era bem diferente deste publicado. Uma curiosidade é que a primeira versão chegou a ter mais de 500 páginas.

  • Pretende publicar outros livros? Se sim, na mesma vertente?


Sim, tenho preferência por romance. Tenho muita coisa elaborada e em andamento. Escrever sempre fez parte da minha vida.

  • O que o motivou a escrever livros?


Desde criança, sempre me vi com um livro na mão. Admito que a leitura entrou na minha vida como imposição da escola, mas o mundo que os livros me apresentavam era tão rico, acolhedor e, ao mesmo tempo, desafiador e intrigante. E não bastava apenas me interessar pela história, eu queria escrevê-la. Sempre fui muito questionador, ao fim de cada capítulo lido, eu escrevia a minha nova versão e, assim, novas histórias nasciam.

  • Qual seu gênero favorito?


Gosto muito de romance, suspense. Não tenho um gênero favorito, me torno adicto pelo estilo de escrita do autor. Se gosto do estilo, acabo lendo todos os seus livros. Mas também me atraio muito por livros de não-ficção. Leio desde livros sobre órgãos humanos a chocolates. Não bato muito bem da cabeça...

  • Enumere de um a cinco seus autores e obras favoritos.


Agora vão me tacar pedras! Mesmo assim, admito: Sidney Sheldon é o meu autor preferido! É o mestre do romance! Depois que ele morreu, me considerei órfão literário. Passei por um período de luto, achando que nunca mais encontraria um novo autor. Ele me acostumou a me interessar pelo estilo de escrita do que ter um autor preferido. Gosto de Dean Koontz, S.J. Watson, David Nicholls, John Green... Mas os meus livros preferidos continuam sendo os do Sidney Sheldon nessa ordem: A ira dos anjos, O outro lado da meia-noite, Se houver amanhã, Um capricho dos deuses, O reverso da medalha. Podem me chamar de antiquado e ultrapassado, mas boas histórias são para sempre!

  • Se fosse para fazer uma propaganda do seu próprio livro, o que escolheria para falar para os leitores?


O limite das íris foi escrito com o coração. É uma leitura pulsante, com uma trama bem costurada e com personagens intensos que buscam a vida mais do que tudo! Não  estou falando de apenas estar vivo, mas sim de serem cheios de VIDA! E é isso que os leitores encontrarão em O LIMITE DAS ÍRIS. Não adiantam trazer os seus olhos e suas cabeças para ler essa história... Eu preciso apenas dos seus corações insaciáveis.



🌼 Contato e Redes Sociais do autor


Instagram: @lucianorg1



E aí pessoal, gostaram da entrevista? Eu adorei conhecer mais sobre o autor e como ele criou essa obra maravilhosa. Confesso que se não tivesse lido iria querer ler, e deu até vontade de reler, kkk. As respostas de Luciano são muito instigantes e faz a gente querer mais e mais O limite das Íris e seus personagens. A proposta que ele teve em relação a capa obteve todo sucesso, porque realmente nos atrai e chama a atenção. Eu não conheço nenhuma das obras que autor citou e dos autores só o John Green e fiquei com vontade de conhecer esses outros autores. Ri aqui com algumas respostas dele e se for assim também não bato bem da cabeça, pois sempre leio vários gêneros. Mas sempre volto ao romance, é claro. Então é isso, espero que tenham curtido.

Gessicaaaaaa, pera aê, você não falou aonde posso adquirir essa obra, por que agora to curiosa(o) neh?!

Então gente, O livro está à venda no Mercado Livre, PagSeguro da UOL, em e-book na Amazon ou diretamente com o autor.

domingo, 12 de novembro de 2017

O Sorriso da Hiena

domingo, novembro 12, 2017 0 Comments
Resenha


Detetive Artur tem um novo caso a resolver; um pai e uma mãe estão desaparecidos, possivelmente mortos, e uma criança de oito anos traumatizada é deixada para trás. Até então, Arthur não sabe o que houve, mas pelo que parecia o pai era alcoólatra, a família era de baixa renda, no entanto, a casa não foi invadida. Já sua amiga Bete tem um caso a resolver de um hacker que foi encontrado enforcado.


O que seria um “simples” caso para Artur encontrar fatos e respostas e possivelmente o assassino, se torna em vários crimes cometidos por um serial killer. Crianças traumatizadas após verem seus pais assassinados.

William é um respeitado psicólogo que trata de crianças desde as que precisam de acompanhamento mais simples até aquelas que sofrem ou sofreram por diversos tipos de traumas. Apesar de ser um psicólogo renomado, William é bem simples, noivo de Juliana, ama sua noiva e seus amigos e sente um grande prazer em ajudar diversas crianças. Atende de graça algumas crianças nos quais os responsáveis não podem pagar por uma consulta, mas que necessitam de ajuda. Ou seja, vive para trabalhar. Na faculdade escreveu um estudo para entender o desenvolvimento da maldade humana, mas como não tinha provas (dados), suas ideias e probabilidades só ficaram na teoria.



Quanto ao caso dos pais desaparecidos e a criança traumatizada, a polícia chama William para tentar conversar com o menino e tentar descobrir quem foi o assassino. Mas o que a polícia não sabia era que aquele seria o primeiro caso de muitos, haveria muito mais crimes e muito mais crianças no qual William teria que conversar.


Para William, aquela era apenas mais uma criança que precisava de ajuda, mas um e-mail enviado por um homem chamado David, muda o rumo completamente das coisas e a vida de William. David faz a seguinte proposta para o psicólogo: ele oferece William a oportunidade de conseguir provas para seu antigo estudo. William trataria de crianças que sofreram grandes traumas emocionais e descobriria se esses traumas, no caso, o trauma específico de ver um assassinato brutal dos pais, influenciaria no desenvolvimento delas após um tempo.

Será que William aceita a proposta de David? Até onde ele seria capaz de chegar para ter dados do seu estudo? Será que os policiais encontrariam o assassino antes de tudo?




“As pessoas não dizem o que veem, dizem o que sentem”

“Quando a gente entende a dor, para de sentir medo dela e consegue encará-la de frente.”




“A gente muda ou é mudado. Não tem como escapar dessas duas opções”

“Às vezes é melhor ficar longe de certas saídas. Às vezes a coragem está em não fazer nada.”


Posso dizer que me surpreendi de todas as formas possíveis com esse livro. A cada página que lia, pensava que ia acontecer uma coisa e ai bumm, acontecia outra. E você quer ler e ler para saber o que vai acontecer e quando vê não consegue mais parar. SURPREENDENTE, é a única palavra que define esse livro. E eu como bióloga adorei saber o porquê do título do livro, sou altamente fascinada por comportamento animal e a comparativa com o humano. Achei incrível o autor inserir isso no enredo. Estou encantada, pois não tinha conhecimento da informação passada.

Fiquei chocada com alguns acontecimentos, jamais imaginei o que ia acontecer na ação e reação de algumas pessoas. Senti a aflição de Artur, pois quanto mais ele chegava perto parecia que mais longe ele estava para descobrir toda a verdade. Senti muito por algumas mortes que aconteceram ao longo do livro e fiquei muito muito chocada com um objeto que tem na história. O que me fez lembrar de um outro livro que li e acho que nesse outro a ligação era muito mais macabra, porém esse não deixa de ser. Quem sabe no próximo encontramos algo mais sanguinário ainda. kkkk



O final é, não sei explicar sem me tornar repetitiva. Para mim chocante e surpreendente define tudo, rsrs. Eu não esperava jamais por aquilo, não esperava que a trama iria se desenvolver daquela forma.

Eu só falo uma coisa, Leiam! Por favor!!! Quem não leu ainda está perdendo uma história incrível. A escrita do autor é perfeita, totalmente instigante. A diagramação também, sem comentários. O livro é maravilhoso por inteiro. Eu amei demais, virou favorito e a partir daqui quero ler muitos outros livros que tenham serial killers. Esse, com certeza, me despertou o interesse a esse tipo de gênero literário.

E não vejo a hora de poder ler o segundo livro do autor. Para quem talvez ainda não saiba, o livro vai virar série no qual será reproduzida pela rede Globo. Ansiosa para esse momento!!!! Espero que a adaptação seja tão boa quanto é a história original.


Ficha Técnica

Autor: Gustavo Ávila
Editora: Verus Editora
Publicado: 2017
Número de páginas: 264
Nota: 




sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Os Bridgertons - O Conde Enfeitiçado

sexta-feira, novembro 10, 2017 0 Comments
Resenha


Francesca  Bridgerton é casada com John Kilmartin o herdeiro de toda a fortuna e propriedades da família. Sua vida com John era tranquila, ambos se amavam muito e tinham uma grande conexão. Michael Stirling era primo de John, nasceu poucos minutos depois, então Michael e John eram como irmãos. E Michael para Francesca era como um primo, no qual ela se divertia com as histórias que ele contava. Mas Michael sempre amou Francesca, antes mesmo de John casar-se com ela, no entanto, ele amava tanto John que nunca quis interferir na relação dos dois. E tentava de todas as formas esconder o que sentia por Francesca, e a forma que encontrava para isso era ser um completo devasso.
Francesca
Porém, John acaba passando muito mal e morre. Francesca, grávida, se encontra perdida. Além de perder o marido, aparentemente acaba perdendo seu melhor amigo, Michael, que abalado demais com a situação se afasta cada vez mais.

Para Michael a morte de seu primo John parece ser um buraco sem fim, se caso Francesca perder o bebê ou não ter um filho homem ele herda tudo que era de John. Mas esse tipo de pensamento começa a consumir ele, pois Michael não quer ter tudo que pertencia a John, e muito menos Francesca, a ideia de também se responsabilizar por ela se torna um martírio para Michael.

Com toda a situação conflitante, Michael decide se afastar de vez de Francesca e vai morar fora do país. No entanto, 4 anos depois...ele resolve retornar para Londres.

Francesca continua solteira depois de 4 anos, mas agora ela decide que já está na época de encontrar um marido e a temporada de Londres já está começando. Porém ao chegar na sua casa em Londres ela logo se espanta com a presença de um homem dentro da casa, no caso, Michael. Então é quando tudo começa...
Michael
Michael e Francesca logo tentam retornar a amizade e familiaridade, mas conforme o tempo vai passando, Michael se sente cada vez mais atraído por Francesca ao ponto de não conseguir mais suportar e esconder seus sentimentos que nada mudaram.

Francesca nunca enxergou Michael, somente via ele como seu primo do coração e um grande amigo, mas um belo dia, ela começa a ver ele com outros olhos, começa a perceber a beleza e a atração que Michael tem. Tudo para Francesca é novo, todos os sentimentos, para ela, querer Michael é totalmente errado, não faz sentido algum. Só que o coração sempre fala mais alto que a mente ou a consciência.

Será que Michael irá conseguir declarar seu amor?
Será que Francesca irá se entregar a essa nova paixão? 
E se eles ficarem juntos, como vão encarar a sociedade?





Esse livro foi o que mais me chocou da série por enquanto. Tem umas cenas muito quentes de arrepiar os cabelos, algo inesperado para a escrita da Júlia Quinn que sempre se mostra “recatada” nas cenas intimas. Eu que que isso, que homem é esse Brasilllll, vem pra cá Michael!!!!! Difícil resistir a beleza e os “encantos” desse homem. Mas enfim, a obra como um todo demorou uma vida para acontecer alguma coisa, mas quando acontece é uma coisa atrás da outra e você fica, como? Peraí, deixa eu respirar um pouco. Só que também não é nada na velocidade do Creu. Fiquem calmos!

Toda a história é muito bem narrada e eu super entendi porque a demora toda, os personagens precisavam desse tempo para se sentirem confortáveis um com outro. Realmente a situação deles era um pouco complicada.

Eu adorei o fato de Michael dar uma independência para a Francesca, acredito que isso fez com que ela se tornar-se muito mais mulher e confiante. Naquela época era muito difícil uma mulher ter independência financeira e saber administrar isso também. Me identifiquei muito com a personagem, ela é a diferentona da família, a mais calada e reservada, mas quando abre a boca sempre sabe o que falar. Eu também sou muito mais quieta e muito mais observadora, e também bastante indecisa que nem ela, kkk.

Não posso dizer que é um dos livros que mais amei até o momento, mas eu gostei muito dos personagens e do enredo em si. Gostei de como a autora abordou as características dos personagens e juntou isso na história. E não se enganem, esse não é um livro fofo que vem com declaração de amor no final. É bem diferente disso.


Ficha Técnica

Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Publicado: 2015
Número de páginas: 304

Nota: 

Marca da destruição

sexta-feira, novembro 10, 2017 0 Comments
Resenha




Essa Resenha pode conter spoleir por ser continuação

Continuando a Série marked...

Depois de ser ressuscitada, Eva acaba voltando a vida e aos seus vários problemas que tem que enfrentar como marcada. Após se recuperar do susto que viveu com o demônio em forma de dragão, Eva terá que começar seu treino como marcada.

Sua relação com Caim não anda bem, pelo que Eva sente eles estão um pouco distantes um do outro e a situação com os demônios só pioram as coisas, pois Caim fica preocupado com o problema que aparentemente só vem crescendo.

Assim, Caim deixa Eva nas mãos de Gadara e vai embarcar em uma missão, e Abel também tem que deixar Eva para ir em uma outra missão buscar dados para saber o que anda acontecendo com os marcados que estão sendo atacados. Eva, então, acaba ficando sozinha tendo que lhe dar com outros marcados que não gostam nem um pouco dela.

Durante o período de treinamento, Eva tenta saber lhe dar com seus “amigos” ao mesmo tempo que anda sentindo uma febre fora do normal. Seu mal-estar só vai aumentando, mas parece que ninguém acredita que o que ela esteja sentindo seja fora do normal.

Enquanto isso, Abel faz novas descobertas sobre a morte dos marcados e também descobre informações bem valiosas que seriam de interesse de Gadara ou mesmo Caim. E falando em Caim, ele acaba conhecendo um tipo demônio que vai mudar sua vida, mudar quem ele é fisicamente e sentimentalmente.

Voltando a Eva...durante o primeiro dia do treinamento uma morte acontece, mas o maior problema é que ninguém sabe quem fez, pois, o cheiro de demônio não está na presença do corpo. O que causa uma grande confusão entre os marcados, além do choque da morte. Então, uma grande investigação começa a acontecer.

Gadara tentando minimizar as mortes decide fazer com que todos vão embora, mas antes precisa de algum resultado da investigação. Enquanto isso, Eva se sente inconformada com a situação e começa a desconfiar de todos. A volta de Abel da sua missão para ir ao encontro de Eva só faz piorar seus sentimentos, já que no momento, ela se sente muito atraída por Abel, com um desejo infernal e incontrolável. Quanto mais o tempo passa, mas Eva se sente ligada a Abel e a situação só piora quando Abel, Caim e Eva se tornam um só; todos começam a ter uma ligação entre eles, mas ninguém nunca ouviu falar desse tipo de coisa.

Enquanto a investigação está sendo feita, todos se preparam para ir embora, porém mais mortes acontece e visitas inesperadas surgem. E uma possível morte em exclusivo mexe com todas as estruturas dos anjos e arcanjos, assim como o dos marcados e entre céu e o inferno.



Esse livro foi ainda mais brando no quesito hot, o que não deixa de ser surpreendente. A história tem muito mais conteúdo do que aparenta ser. Eu adorei esse segundo volume, fiquei com muita mais muita raiva do Caim e sinceramente estou quase torcendo para Eva ficar com Abel. Nesse livro Abel mostrou mais ainda o quanto gosta dela e o quanto seus sentimentos por ela está modificando que é e seus interesses. Além disso, Abel é quente, é como um fogo que nunca se apaga, quero ver mais desses dois juntos.

De verdade quero que eles fiquem juntos. Caim apesar de ter uma ligação mais forte com Eva está me decepcionando a cada passo, me dá impressão que ele está usando Eva para seus únicos interesses.

E quem nada mais e nada menos aparecer nesse livro?! O próprio lúcifer. Querendo manipular tudo e todos a sua volta.

A cada livro esta história está me conquistando mais, estou curiosa com o último livro e espero não me decepcionar ao longo da série.



Ficha Técnica

Autora: Sylvia Day
Editora: Faro Editorial
Publicado: 2016
Número de páginas: 335

Nota: 

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Entrevista com a autora Roxane Norris de Indulto ao Corso

terça-feira, novembro 07, 2017 0 Comments
Entrevista com a autora Roxane Norris


Olá, hoje venho falar um pouco sobre a autora Roxane Norris que está lançado seu mais novo livro, chamado de Indulto ao Corso, assessorado pela LC. Agência de Comunicação. É um livro de romance de época e tem tudo para se tornar um dos queridinhos pelos leitores. Conheçam um pouco mais sobre a autora e leia a entrevista no qual foi feita com ela.





Sobre a autora: desde pequena se envolveu com os clássicos do romance mundial como Alexandre Duas e Jane Austen. Arquiteta por formação, encontrou sua formação, encontrou sua verdadeira vocação na escrita. Após uma breve incursão ao gênero fantasia, onde possui cinco livros publicados, sendo Immortales a principal delas, dedicou-se aos Romances de Época, obtendo significativa projeção. Em seu terceiro lançamento, a autora já prepara mais textos e diz não quere parar. São também de sua autoria a trilogia Irmãs Reims, da Qualis Editora.



Entrevista

  • O que há motivou a escrever?

R.N: Posso creditar esse mérito todinho ao fato de  ter me embrenhado no mundo de fanfictions através do fandom de Harry Potter, onde dei meus primeiros passos junto a um grupo chamado Snapetes.

  • Quais são suas obras publicadas? Fale um pouco do que se trata cada uma delas.

R.N: Possuo, ao todo, onze livros publicados, sendo três antologias. Contudo, vou me concentrar em falar nos Romances de Época, que é o gênero a que me dedico atualmente.

A trilogia Irmãs Reims, lançada pela Qualis Editora, traz a história de três irmãs, orfãs de mãe, em que cada uma, a seu modo, descobrirá o amor.

Em o Misterioso Conde de Rothesay teremos Irina, a mais velha das irmãs, superando todas as dificuldades, inclusive a própria resistência do protagonista,  Thomas, para viver um romance intenso e cheio de reviravoltas.
No segundo livro, O Diabólico Duque de Essex, Gwen, a mais nova das irmãs, com sua personalidade única e cheia de nuances que a leva sempre a ficar em perigo eminente, será confrontada por um grande desafio: fazer Yurik, um duque acostumado com traições e intrigas, acreditar que está diante de uma mulher verdadeiramente apaixonada por ele. O curioso é que temos com cenário o Brasil, e D. Pedro II e Teresa Cristina envolvidos numa trama que pode romper os bons laços com a Inglaterra.

Indulto ao Corso, da Rico Editora, conta a história de Rose Anne uma jovem inglesa muito a frente do seu tempo, com uma personalidade forte e ímpar, já que desde cedo – apesar de vir de uma família com recursos, e até certo ponto por isso mesmo – conquistou sua independência ao se envolver no mesmo tipo de trabalho de seu pai: espionagem. Scar, ao contrário, teve que construir sua vida por uma caminho mais tortuoso, e dessa forma teve o caráter moldado pela carreira que escolheu, a de corsário. Dono de uma personalidade tão forte quanto Rose, e quando se vê no centro das suspeitas da jovem, será inevitável um confronto entre ambos, ainda que ardilosamente ele consiga provar sua inocência.


A pergunta que deixo aqui ao meu futuro leitor é: será que uma grande paixão é capaz de domar duas pessoas tão determinadas?   

  • O que a fez se identificar mais em escrever livros de fantasia e romance de época?

R.N: Gostar de ambos os gêneros, ter o hábito de ler livros deste tipo, e ver filmes com a mesma temática. O autor tem que vivenciar o que escreve, se não, não criara empatia com o leitor.

  • Você encontrou dificuldade no início de sua carreira como autora?

R.N: Sim, principalmente por ter começado num gênero onde quase não há expoentes femininos em destaque. Foi até certo ponto surpreendente o fato de Immortales ter o sucesso que teve, e ainda ter muito fãs.

  • Acredita que hoje tem mais leitores que leem livros nacionais?

R.N: Acredito que hoje os leitores cada vez desconfiam menos da qualidade das histórias nacionais, e gradativamente vem aumentando nossa aceitação. Ainda assim há uma luta constante para a manutenção do espaço adquirido pelo autor nacional junto às editoras diante da sedução de adquirir livros estrangeiros com um potencial muito maior de venda, pois já chegam aqui como Best Sellers.

  • Se tivesse que escolher, quais seriam seus autores favoritos?

R.N: Tenho uma lista bem grande, mas costumo dizer que Alexandre Dumas é meu preferido. Adoro Agatha Christie com todas as minhas forças, e Sarah Maclean, minha ídola da atualidade.

  • E quais são seus top dez de livros que mais gosta? Diga em ordem de preferência (ex. 1º, 2º, 3º...)

R.N: 1º – O Conde Monte Cristo
2º – Senhora
3º – Mulherzinhas
4º – Norte e Sul
5º – Jane Eyre
6º – Orgulho e Preconceito
7º – A Dama das Camélias
8º – A Abadia de Nothinger
9º – Os Três Mosqueteiros
10º – Todos os livros da Sarah Maclean

  • E se fosse para escolher uma obra sua que mais gosta, qual escolheria?

R.N: Que capicioso kkkkkk Eu não tenho uma obra que ame mais, acho que tudo é o momento e o comprometimento. Vou eleger Immortales por ter me lançado no meio.
  • Em relação aos "crushes" dos seus livros, qual escolheria como favorito? Por quê?

R.N: Edmund Ernoyi, o protagonista de Immortales – Herança, por ser uma homenagem ao meu crush literário, Edmund Danté, de o Conde de Monte Cristo.

  • Qual personagem dos seus livros você mais se identifica? Por que?

R.N: Acho que todos, porque não importa se é vilão, ou não, sempre há um pouco de mim em cada um deles, e todos são feitos com carinho.

  • Cite um quote que goste de algum livro seu.

R.N: Um só? Rsrsrsrs Vamos lá...


“Costumo ser muito bom no que faço... Não há um ser humano que não tema o meu nome.” Indulto Ao Corso – Rico Editora.



🌼 Obras da autora

Novo Livro Indulto ao Corso
Irmãs Reims
Volkodlák Livro 2
Immortales


E aí, gostaram da entrevista? Eu adorei conhecer mais um pouco sobre a autora, saber que ela é potterhead de certa forma, que ama Orgulho e Preconceito, assim como eu; e minha nossa, preciso urgentemente conhecer algo da autora Sarah, se a Roxane indica, então deve ser maravilhoso. Fora isso estou muito curiosa para conhecer a obra nova da Roxane Norris e as suas outras obras, é claro. Até a próxima.



Obs: Informações cedidas pela Lc. Agência de Comunicação e pela autora Roxane Norris.

domingo, 29 de outubro de 2017

Mr. Romance

domingo, outubro 29, 2017 0 Comments
Resenha


Eden é uma pessoa totalmente desacreditada do amor, do relacionamento verdadeiro. Ela sempre tenta se relacionar com um homem apenas em por uma noite, depois disso, ela acredita que cada um deve seguir seu caminho.



Sua melhor amiga é sua irmã Asha, que por sinal, Eden acredita ser mais bonita que ela. Afinal, para ela Asha tem todo um estilo e um belo corpo, enquanto Eden... é sem curvas e sem graça.


Tudo começa a mudar na vida de Eden depois que sua irmã fala sobre um tal Mr. Romance que está fazendo sucesso com a mulherada da alta sociedade. Saber sobre essa informação é como um passaporte para felicidade e promoção para Eden. Afinal ela é uma jornalista que sonha fazer parte de uma verdadeira coluna além de ficar fazendo matérias click- bait (publicidade on-line, normalmente às custas da qualidade e da precisão da informação, por meio de manchetes sensacionalista).


Ao chegar ao trabalho, Eden para seu amigo Toby hachear o e-mail de uma cliente do Mr. Romance para conseguir ter acesso a ele. E tudo parece indo bem e mal ao mesmo tempo. Apesar de conseguir chegar ao tal cara, Mr Romance não lhe retorna.

Tentando lhe dar com a frustação, Eden vai a academia fazer uns exercícios, até que seu lado estabanada faz com que ela cai aos pés, literalmente, de um “bonitão” que malha por lá. E por incrível que pareça para ela, o homem começa a lhe dar atenção e a paquera- lá.  Mas Eden acredita que não vale a pena se meter nesse rolo, além de bonito demais para ela, ele parece querer algo a mais do que uma boa transa.











Porém o destino parece que eles devem ficar juntos, em uma noite na balada com sua irmã, Eden reencontra Kirean, que para sua infelicidade, sua irmã parece estar afim dele. Deixando o caminho livre para Asha, Eden retorna para casa. No entanto, no dia seguinte sua irmã a convida para um jantar e advinha quem estava lá no lugar da irmã? KIREAN.





Enquanto isso, sua situação com Mr. Romance parece melhorar, ao tentar descobrir um galpão que aparentemente pode ter uma possível relação com o homem misterioso. Em meio a investigação,  Eden recebe uma ligação justamente dele. Tentando não perder sua grande chance, Eden o ameaça e lhe dá um prazo para que ele aceite a dar uma entrevista para ela. O que o homem misterioso e incrivelmente irritante parece relutar.

Em uma ligação para Eden, Max (Mr. Romance) lhe faz uma proposta audaciosa, ele a desafia a ter com ele três encontros; e se ela não se apaixonar por ele, ele concede a entrevista.  E se ela se apaixonar por ele, Eden deve esquecer a história sobre Mr. Romance.



No jantar com Kieran, Eden acaba não conseguindo mais lutar contra seus encantos e seus sentimentos decidindo se deixar envolver mais com o belo cara. Contudo, após uma ligação inesperada durante o jantar o mundo de Eden começa a despencar e ela descobre quem é verdadeiramente Kieran.



Como Kieran foi parar no jantar em vez de Asha?

Será que Eden irá conseguir entrar do jogo de Mr. Romance sem se machucar?

Quem será afinal Kieran? O que Eden descobre ao seu respeito?

Será que Eden conseguirá se promover no trabalho?

E o amor? De quem fará parte o coração de Eden?



“Todos nós temos questões que estamos tentando superar [...] Todo mundo quer se sentir especial, a gente admitindo ou não. E amar sem limites, nos permitindo ser amados de volta, é o que dá sentido à vida.” (p. 106)

“ Algumas vezes, as pessoas se agarram ao que já conhecem, mesmo que tudo o que conheçam seja sofrimento.” ( p. 257)

“A solidão é como um quarto grande e vazio dentro de você, que ecoa o som da vida que você não está vivendo.” ( p.279)



Eu adorei esse livro, o segundo da autora que leio e me surpreendeu mais uma vez. Simplesmente fantástico, é uma história que te pega do início ao fim. Dei muita risada com o casal e com Toby, e claro além da Nan, e também tinha o pato Moby que minha nossa as cenas com ele são hilárias.

Basicamente nada do que aconteceu eu desconfiei. É claro que tive minhas desconfianças e elas se concretizaram, porém, os acontecimentos foram muito diferentes do que imaginei. Agora mais ainda eu quero conhecer as outras obras.

Eden apesar de linda, não consegue se sentir assim. Acredito que seja porque ela saia apenas com a irmã e como a ama e admira se sente ofuscada com as qualidades dela. Seu amor pela família é sem igual, além da irmã, é apaixonada pela sua avó. Sua mãe morreu logo cedo e sua relação com seu pai não fora nada fácil na infância.

Max além de gostoso em todos os pontos, é romântico, atencioso que só quer passar amor e mostrar o verdadeiro valor das mulheres. Mostrar que elas são maravilhosas, lindas por dentro e por fora, que merecem ser amadas.  Depois de ter aprendido com o passado, ele tenta fazer de seu presente e seu futuro algo totalmente diferente. Ser alguém no qual ele sempre deveria ter sido. Max é daqueles personagens que você quer para você e no final você fica querendo um Mr. Romance para sua vida, nem que seja por uns dias, como as clientes do garanhão.

Kieran é um homem super sedutor, que conseguiu enxergar ou melhor deixou de ter as arestas dos olhos e reparou no quanto Eden é especial e que merece ser amada. E não é toa que todo seu jeito simples, atencioso e sexy de ser conquista o coração da jornalista.

Esse é daqueles livros que te pegam de jeito, te conquistam do começo ao fim. Eu sinceramente queria falar mais obre minhas impressões, mas se eu disser vou estragar todo o livro.  E acredito que perderia toda a graça.





Ficha Técnica

Autora: Leisa Rayven
Editora: Globo Alt
Publicado: 2017
Número de páginas:  368
Nota: 

Instagram